O ano de 2020 tem sido um ano bastante atípico para a maioria da população, uma vez que a maior parte das rotinas de lazer e trabalho foram alteradas por este novo cenário mundial que se instaurou, desde a descoberta do novo coronavírus, causador da COVID-19. Como uma das principais mudanças desse “novo normal”, podemos ressaltar as medidas de distanciamento social, que impedem as pessoas de realizar suas atividades como de costume. Sair de casa, praticar exercícios físicos, conviver com amigos e familiares, realizar atividades de lazer e trabalhar se tornaram coisas muito diferentes do que todos estavam acostumados.

Praticamente todas as pessoas precisaram se adaptar de alguma maneira à essa nova realidade. Isso tudo, somado ao cenário preocupante e incerto que nos rodeia, pode causar ou agravar problemas de saúde para os trabalhadores. Por isso, são recomendados alguns cuidados relacionados à ergonomia e saúde mental.

Ergonomia: principais cuidados no home office

Pela Norma Regulamentadora (NR) 17, as condições de trabalho devem ser adaptadas às condições psicofisiológicas dos trabalhadores, e é responsabilidade das empresas realizar a análise ergonômica do trabalho, garantindo que os funcionários realizem suas atividades com segurança e conforto. A análise ergonômica deve considerar o ambiente de trabalho, mobiliário, equipamentos, organização e condições ambientais.

No entanto, quando é adotado o regime de teletrabalho, também conhecido como home office, para viabilizar o distanciamento social tão necessário durante a pandemia, as empresas podem encontrar dificuldades ao garantir que o novo ambiente de trabalho tenha as condições adequadas para o trabalhador. Dificilmente será possível o empregador realizar uma análise ergonômica na casa de cada funcionário, portanto, algumas medidas podem ser colocadas em prática pelos próprios:

•Ajustar a altura de monitores e telas, de forma que fique na altura dos olhos, evitando flexões do pescoço;

•Posicionar monitores e telas a uma distância mínima de um braço esticado para frente;

•Fazer uso de almofada ou outro item que dê suporte à região lombar, caso a cadeira não possua regulagem;

•Quando não houver apoio para cotovelo/antebraço na cadeira, é importante mantê-los apoiados na mesa mantendo uma angulação de 90 graus;

•Fazer uso de iluminação preferencialmente natural, com tela posicionada de lado para a claridade, evitando reflexos;

•Dar preferência por locais sem ruídos, que permitam a concentração;

•Buscar manter uma temperatura agradável no ambiente, variando entre 20 e 23 graus.

Além disso, é de extrema importância que a cada duas horas, o colaborador faça pausas de dez minutos, aproveitando o momento para andar um pouco e fazer exercícios de alongamento.

Saúde mental: cuidados durante o distanciamento social

O cenário atual de pandemia, instabilidade econômica, incertezas e mudanças pelas quais todos estão passando, pode ser muito prejudicial à saúde mental das pessoas. Por isso, os cuidados com a saúde mental são tão importantes quanto os cuidados com o corpo. A prática de hábitos saudáveis e ter um estilo de vida de qualidade, podem contribuir para manter o estresse e ansiedade em níveis aceitáveis. Existem algumas formas de cuidar da saúde mental que podem ser colocadas em prática:

•Exerça o distanciamento social, mas não o isolamento social. Mantenha laços familiares e de amizades através dos meios de comunicação eletrônicos e, se for presencialmente, certifique-se de manter uma distância segura e fazer o uso de máscaras;

•Busque novas atividades para serem feitas sozinho ou na companhia dos que moram com você. Ler, cozinhar, jogar jogos eletrônicos, tocar instrumentos ou outras formas de passatempo podem ser ótimos para se manter ativo e produtivo nos momentos de isolamento;

•Inclua atividades físicas na rotina, ainda que em casa de forma adaptada com os itens que tem disponíveis. Muitas academias e professores estão disponibilizando aulas online gratuitamente, que podem ser acessadas de dispositivos móveis. Além de manter o corpo ativo, também é uma forma de liberar endorfina, hormônio que provoca sensação de bem-estar;

•Procure ter uma alimentação saudável e equilibrada, que pode contribuir para regular suas funções cerebrais, manter bons níveis de energia e controlar as emoções;

•Caso necessário, procure tratamento terapêutico adequado com profissionais capacitados.

É importante que todos estejam cientes de que problemas de saúde mental podem afetar a todos, sem distinção de gênero, idade e classe social. Alguns fatores podem ser agravantes, portanto, todos devem estar atentos à sua própria saúde mental e daqueles que o cercam.